Carlsberg compra direitos internacionais da marca Brooklyn por $ 130 milhões

Publicidade
Cervejaria Carlsberg adquiriu direitos de utilização da marca da americana Brooklyn Brewery na Europa e Ásia

O Relatório Anual de resultados da gigante cervejeira dinamarquesa Carlsberg revelou que a multinacional adquiriu em junho de 2020 os direitos sobre a marca Brooklyn Brewery para utilização na Europa e partes da Ásia por 130 milhões de dólares.

O negócio marca a intensificação de interesse da Carlsberg no aprofundamento de sua parceria com a cervejaria norte-americana e para Brooklyn a ampliação de sua pegada internacional.

Continua após a Publicidade

A Brooklyn e a cervejaria artesanal independente dos Estados Unidos com maior participação fora de seu país. Suas cervejas são vendidas em mais de 30 países.

A cervejaria possuí operações em países como Suécia, Noruega Japão e Brasil construída através de uma considerável rede de parcerias estratégicas com uma diversidade de players.


Leia mais:

Lagunitas lança sua primeira IPA sem álcool


O que esperar do mercado de cerveja em 2021


A parceria entre Carlsberg e Brooklyn nasceu em 2004 quando a Carlsberg assumiu a distribuição das cervejas do Brooklyn na Escandinávia, aumentando as vendas da cervejaria na Europa e se aprofundou ao longo dos anos seguintes

Em 2012, as duas cervejarias intensificaram sua cooperação abrindo a  New Carnegie Brewery  como uma joint venture em Estocolmo na Suécia. Quatro anos depois, em 2016, os parceiros lançaram juntos a  Cervejaria EC Dahls  em Trondheim na Noruega. 

Um ano depois, os dois sócios fecharam vários negócios. Primeiro, eles concordaram em uma nova parceria exclusiva para Hong Kong e, em seguida, anunciaram a compra conjunta da London Fields Brewery, com 6 anos de idade,  na capital do Reino Unido e apenas alguns dias depois ambas as empresas disseram que iriam investir 5 milhões de euros em uma nova empresa na Lituânia que assumiria parte dos negócios da dinamarquesa naquele país.

Em seu relatório anual 2020, a Carlsberg afirma agora que “desde 2004 desenvolvemos uma cooperação estreita com esta grande cervejaria artesanal de Nova York. Em 2020, fortalecemos ainda mais a colaboração quando adquirimos os direitos da marca Brooklyn em nossos mercados. O negócio reduzirá a complexidade e aumentará a lucratividade, apoiando o crescimento futuro da marca”.

Desde 2016, a Kirin Holdings do Japão detém 24,5% das ações da Brooklyn Brewery, percentual que permite que a cervejaria permaneça dentro dos critérios necessários para pertencer a Brewers Association.

No Brasil a Brooklyn Brewery possui a subsidiária Brooklyn Brazil, criada em 2018 em sociedade com a cervejaria paranaense Maniacs Brew.

Internacionalmente, a única cervejaria fora dos grandes grupos cervejeiros globais que apresentou expansão internacional superior a apresentada pela Brooklyn foi a escocesa Brewdog que tem utilizado uma estratégia diferente para atingir novos mercados.

Steve Hindy , um ex-professor de inglês e jornalista internacional que cofundou a Brooklyn Brewery em 1987 em dezembro do ano passado, após 36 anos no negócios se aposentou oficialmente.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Publicidade
Publicidade

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Sommelier e especialista em marketing de cervejas