Heineken doa R$ 9 milhões para construção de usinas de oxigênio no Brasil

Publicidade
Heineken decide doar a verba destinada ao patrocínio do festival Rock in Rio para construção de usinas de oxigênio no país

A Heineken, segunda maior cervejaria do Brasil, anunciou na última semana uma parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) para a instalação de quatro usinas de de oxigênio no país, numa ação para ajudar no combate aos efeitos da pandemia da COVID-19.

Além disso a companhia também realizará doação de cilindros de oxigênio, aparelhos de suporte às vias aéreas (CPAPs) e equipamentos de proteção individual (EPIs) para ao menos 40 hospitais filantrópicos em situação crítica.

Continua após a Publicidade

O valor doado pela marca de cerveja é de R$ 9 milhões, que seriam destinados ao patrocínio do festival Rock in Rio deste ano que foi adiado para 2022. De acordo com a empresa, a Heineken continuará patrocinando o Rock in Rio em edições futuras.

A doação será realizada em parceria com o BNDES ocorrera através de junção de valores com a empresa pública, em que a instituição iguala a doação feita pela esfera civil e instituições privadas, efetivamente dobrando o valor da doação original. O esforço faz parte da campanha “Salvando Vidas”.


Leia mais:

Lagunitas lança sua primeira IPA sem álcool


O que esperar do mercado de cerveja em 2021


“É um momento muito difícil para todos e que exige um esforço conjunto, público e privado, para que o país enfrente a situação e minimize impactos. Por isso, sendo uma marca tão valorizada pelos brasileiros, não poderíamos deixar de direcionar nossos esforços para o que é prioridade: a vida das pessoas”, declarou Maurício Giamellaro, CEO do Grupo Heineken no Brasil, em comunicação oficial.

“O BNDES tem imenso orgulho de apoiar hospitais em diversas regiões do país, por meio da doação de equipamentos tão relevantes como usinas de oxigênio, cilindros e EPIs em parceria com a Heineken. A Campanha Salvando Vidas já alcançou R$ 100 milhões em doações e, neste momento, estudamos ampliar nosso apoio para continuarmos contribuindo para a redução dos impactos da COVID-19 na linha de frente dos hospitais de nosso país”, disse Gustavo Montezano, Presidente do BNDES, em nota.

Em março a maior cervejaria do Brasil, Ambev também anunciou a instalação de usinas de oxigênio para aumentar a oferta para unidades de saúde impactadas pela pandemia recentemente.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Publicidade
Publicidade

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Sommelier e especialista em marketing de cervejas