Banco do Brasil abre linha de crédito de R$ 600 milhões para cultivo de lúpulo no estado do Rio

Produção de lúpulo no distrito de Amparo em Nova Friburgo | Foto: Divulgação/Lúpulo Nova Friburgo

Publicidade
O Banco do Brasil em parceria com o governo do estado do Rio abre linha de crédito destinado a fomentar o cultivo do lúpulo em território fluminense.

Até a pouco tem com produção desacreditada em terra brasileiras, a cultura do lúpulo no Brasil tem ganho suas primeiras iniciativas e a região serrana do Rio de Janeiro tem se mostrado um área de destaque.

O Banco do Brasil, em parceria com o governo do estado do Rio, lançou na última quarta-feira (17/04) uma linha de crédito para a cultura e exploração do lúpulo em território fluminense. A estimativa é disponibilizar R$ 600 milhões para pequenos e médios produtores associados à Rota Cervejeira da Serra Fluminense.

“O reconhecimento do lúpulo como cultura viável no estado é uma das nossas prioridades para ajudar na revitalização da nossa economia” — afirmou o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Eduardo Lopes.

Publicidade

Produtores rurais da região serrana do Rio têm iniciado investimentos na produção do insumo cervejeiro, e estudos mostram que há uma tendência do lúpulo florescer três vezes ao ano na Serra Fluminense, enquanto que, no Hemisfério Norte, só uma vez anualmente.

Leia também: O que esperar do mercado de cervejas no Brasil em 2019

Esta iniciativa, certamente, abrirá caminhos e criará ótimas condições para que possamos fomentar o cultivo de lúpulo no estado, via operações de crédito de custeio e investimento, principalmente para as regiões Serrana, Centro e Sul. Esta linha de crédito é uma oportunidade de grande potencial que vai impactar positivamente o agronegócio fluminense – declarou Raimundo Pérez, superintendente estadual do Banco do Brasil.

” Em Teresópolis, já temos quatro plantações de lúpulo, que é a matriz agrícola de maior valor agregado do mundo. Quando se une a um agente financeiro, como o Banco do Brasil, com linhas atrativas para financiar o lúpulo, o agricultor começa a ganhar confiança com a nova matriz na sua plantação” comentou Vinicius Claussen, prefeito de Teresópolis.

Leia também: Consumo de latas para bebidas cresceu no Brasil em 2018

Ações de agentes governamentais com entidades fomentadoras em relação não só a atividade de produção de cerveja, mas também atuando em diferentes pontos da cadeia de valor do produto são essenciais para o fortalecimento e amadurecimento do segmento.

A história de desenvolvimento comercial do lúpulo norte-americano, por exemplo, que foi gestada durante anos no longo prazo se apresentou como um diferencial importantíssimo para a indústria da cerveja dos Estados Unidos, pois ao longo do tempo reduziu seu custo e concomitantemente criou a singularidade sensorial devido o terroir relativo a características locais, se diferenciando dos, até então exclusivos, lúpulos europeus.

Fique online com nossas publicações. Curta nossa página no Facebook!

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Sommelier e especialista em marketing de cervejas