No auge do verão americano, a principal estação para vendas de cerveja, a empresa de monitoramento IRI publicou o desempenho da bebida no mercado dos EUA

Com meio ano de vendas monitoradas, a IRI, uma empresa que coleta dados de varredura de comercialização de supermercados, conveniência e muitas outras cadeias de lojas, apresentou recentemente a evolução de dados de vendas do mercado de cerveja nos EUA no primeiro semestre.

A primeira tendência observada é que as IPAs ainda se mantém como um dos estilos de maior crescimento no mercado. Até o final do primeiro semestre de 2019, a IPA é uma das duas principais categorias de estilos rastreadas pelo IRI, que mostrou crescimento em comparação com o mesmo período do ano anterior.

A IPA do segmento “artesanal” definida pelo IRI (que inclui marcas de propriedade de multinacionais como a Space Dust da Elysian) cresceu 13,4%, enquanto a American Lager cresceu 18,3%. Porter / Stout, subiu 1%, consistente com os anos anteriores.

Apesar do estilo American Lager ser o de maior crescimento, as IPAs vendem cerca de 7,5 vezes a mais em volume monitorado pela IRI do que as American Lagers. Logo, as IPAs crescem em dois dígitos enquanto são o maior volume de vendas entre esses estilos.

New England IPA da Sierra Nevada se destaca

Aprofundando a análise, no segmento de IPAs um dos destaques é a ascendência da Hazy Little Things da Sierra Nevada, uma American NE IPA que sai dos tanques da cervejaria direto para a lata.

Leia também: O que esperar do mercado de cerveja no Brasil em 2019

A Hazy Little Thing, que estreou em todo o país em 2018 e vendeu volume suficiente no IRI para se tornar a 10º IPA mais vendida no país (em lojas monitoradas pela IRI), é agora a sexta cerveja mais vendida em volume e em dólares. O produto está se tornando um novo paradigma para a produção de NE IPAs em maior escala.

Dentro do portfólio da Sierra Nevada, a Hazy Little Thing se encontra apenas atrás da Pale Ale, que conta com 41,3% das vendas, e da Torpedo Extra IPA, com 18,8%. Explicitando o poder do início da temporada de verão, do primeiro para o segundo trimestre nos EUA o produto alcançou um aumento de 75% em suas vendas.

Apesar da Sierra Nevada estabelecer uma meta de crescimento de 5% para 2019, que neste momento parece praticamente inalcançável, a Hazy Little Thing demonstra desempenhar um papel muito importante na evolução do portfólio da cervejaria.

Grandes cervejarias já possuem metade das IPAs mais vendidas nos EUA

Ao se analisar as cervejarias que dominam o segmento de IPAs do mercado de prateleiras monitorado pela IRI, temos apenas 6 empresas entre as top 10 do segmento. AB Inbev, com suas marcas Goose Island e Elysian, Founders, Heineken (com sua marca Lagunitas), Bells, Sierra Nevada e New Belgium.

Importante observar que dentre os 10 principais rótulos de IPAs em vendas monitorados pela IRI, metade são de cervejarias totalmente ou parcialmente pertencentes a grandes multinacionais. Goose Island e Elysian pela AB Inbev, Lagunitas pela Heineken e a Founders pela espanhola Mahou San Miguel.

Leia também: Heineken iniciará a produção e comercialização da Lagunitas no Brasil

Enquanto a Founders possui o maior volume de vendas, creditado principalmente ao seu pacote de 15 unidades da All Day IPA, a Lagunitas IPA, segunda em volume, possui o maior faturamento com a Lagunitas IPA.

O blog Beervana comentou recentemente que desde o lançamento do pack de 15 unidades da Founders All Day IPA um limite perigoso foi ultrapassado. Ele consiste na diferenciação básica que cervejas de maior escala e cervejarias artesanais possuíam no ponto de venda.

Enquanto cervejas artesanais eram vendidas em menores volumes investindo no valor agregado de um lado, produtos de grandes cervejarias eram comercializados em grandes packs de várias unidades de outro.

Com a disputa baseada em grandes pacotes, segundo a visão do Beervana, as economias de escala das grandes cervejarias serão muito mais competitivas para estabelecer uma dominação dentro do crescente segmento das IPAs norte-americanas, uma vez que a tendência dos consumidores será conjugar o poder de promoção desses produtos com seu menor preço.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Analista de comercialização e logística, sommelier e especialista em marketing de cerveja.