Oca busca inovação em NEIPAs com uso de tapioca

Cervejaria Oca lança linha Mani e traz como protagonista a tapioca e diferentes combinações de lúpulos

Aprendemos com The Alchemist Heady Topper e a Lawson’s Sip of Sunshine o estilo que se tornou muito procurado nos bares de cerveja artesanal: NE IPA. Mas o desafio de imprimir os sabores do Brasil para o copo continuaram. A Oca Cervejaria traz exatamente isso em sua série Mani, linha de IPAs que explora o de tapioca junto com aveia para alcançar uma textura incrivelmente cremosa. O trio: Amana, Amôri e Rudá teve lançamentos iniciados no dia 24 de junho.

A primeira a chegar nos bares será a Rudá que traz uma inteligente combinação dos lúpulos SABRO e BARBE ROUGE. O resultado é um equilíbrio perfeito entre amargor com intenso aroma e sabor de coco, manga verde e romã.

Publicidade

A série, que explora o uso da tapioca e cereais não maltados, como trigo e aveia, traz cervejas com texturas incrivelmente cremosas e intensos aromas e sabores de frutas tropicais, provenientes do processo Duplo Dry Hopping.

Os interessados poderão encontrar o primeiro (Rudá) em bares que estão trabalhando com sistemas de delivery e take away, e em ecommerces que atendem todo o país.


Leia mais:

Petroleum é Nosso – Filme relata a evolução do mercado de cerveja artesanal no Brasil


Como a cervejaria americana Trillium adapta seu taproom para operação online


AMANA
A origem do nome Amana é Tupí. Significa chuva, nuvem. De coloração amarelo vivo de turbidez intensa a cerveja utilizou o processo de Duplo Dry Hopping, o resultado é um amargor correto com intenso aroma e sabor de frutas tropicais e uva branca devido a dois modernos lúpulos: Galaxy (australiano) e Hallertau Blanc (alemão).

AMÔRI
A origem do nome AMÔRI tem origem indígena significa sol.

O processo Duplo Dry Hopping nesta cerveja resultou em um amargor acompanhado de aroma e sabor de frutas tropicais e frutas amarelas como Tangerina, Toranja, devido a dois modernos lúpulos neozelandeses: Kohatu e Rakau.

RUDÁ
A origem do nome Rudá tem origem indígena e o nome do deus do amor na mitologia de uma das principais tribos de índios brasileira – a tribo tupi Rudá. A cerveja é uma NE Double IPA de coloração amarelo vivo de turbidez intensa.

Também parte da série MANI, linha de cervejas na qual é explorado o uso de mandioca como ingrediente, além da adição de cereais não maltados como trigo e aveia, usamos grande quantidade de tapioca, que confere uma textura incrivelmente cremosa.

Os modernos lúpulos Barbe Rouge (francês) e Sabro (americano) conferem aroma e sabor de frutas tropicais e frutas vermelha como morango e framboesa.
a linha Harmoniza muito bem com comidas leves, salmão ao molho de maracujá, Ceviche saladas e massas variadas.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Sommelier e especialista em marketing de cervejas