Pão de Açúcar lança linha própria de cervejas artesanais com meta de atingir 25% das vendas

Grupo Pão Açúcar verifica crescimento de cervejas artesanais e lança a sua marca própria após 2 anos de pesquisa e desenvolvimento.

Um fenômeno não muito incomum no mercado de cervejas artesanais são pontos de venda que investem em criar sua própria marca de modo a aproveitar as suas prateleiras.

Esse fenômeno agora se diferencia por chegar até um dos grandes do varejo no Brasil como o Grupo Pão de Açúcar (GPA), dono das redes Pão de Açúcar, Extra e Assaí.

“Vendemos quase 20 milhões de garrafas por ano de cervejas especiais e esse mercado tem muito potencial de crescimento nos próximos anos porque consumidor está mais maduro a cada ano e vem migrando de cervejas mainstream para cervejas especiais”, disse o diretor de marcas exclusivas do GPA, Samir Jarrouj.

A motivação para que o grupo invista numa marca própria de cervejas de maior valor agregado parece acertada. Enquanto esse mercado cresce, em média, 25% ao ano, de acordo com a Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), as vendas de cervejas especiais nas redes do Pão de Acúcar crescem acima de 30% ao ano, segundo a companhia.


Leia também:

Brasil se torna o maior mercado da Heineken no mundo e empresa dobrará de tamanho


A marca foi batizada de Fábrica 1959, em alusão ao ano de criação do grupo, e enfrentará a concorrência principalmente dos rótulos de grandes cervejarias como Colorado e Wals da Ambev e Baden Baden e Lagunitas da Heineken, devido ao seu posicionamento de marca e preço.

Projeto de desenvolvimento da marca de cervejas levou 2 anos

Para desenvolver um projeto robusto o GPA utilizou sua base de dados de mais de 20 milhões de clientes e analisou os estilos que possuem maior potencial de aceitação. “Foram mais de dois anos de pesquisa para chegarmos aos sabores, receita, embalagem, rótulo e nome” declarou o diretor de marcas exclusivas do GPA para o Estadão sobre o projeto.

Para o desenvolvimento do produto a rede de varejos contou com o apoio do Instituto da Cerveja Brasil para a criação da receita e a Cervejaria Imigração (produtora da marcas Imigração e Roleta Russa), do Rio Grande do Sul, para a terceirização da produção. Os estilos escolhidos foram Pilsen, Weiss, Witbier e IPA.


Leia também:

Mercado de cervejas premium cresce e ganham uma nova dinâmica no Brasil


A meta é que as vendas da Fabrica 1959 atinjam em um ano 25% em volume da venda de cervejas especiais em lojas físicas e online. Para isso a empresa investirá degustações nas lojas do grupo, divulgação na grande mídias e ações com influenciadores.

Marcas de cervejas artesanais própria já foram utilizadas por grandes redes de varejo no exterior

O movimento do Pão de Açúcar é interessante, pois como grande rede de varejo o grupo já possui grande massa de dados que permite conhecer os hábitos de consumo de seu público auxiliando num desenho de estratégia bastante refinado.

Outro ponto de vantagem é que com o grande volume de produção e venda direta ao consumidor é permitido ao Pão de Açúcar apropriar boa margem com as vendas mesmo com preços baixos para a categoria (as cervejas da Fábrica 1959 serão vendidas em R$ 11,90 e 12,90).

A estratégia do grupo é nova ao se avaliar grandes redes de varejo brasileiro, porém numa perspectiva mundial outras ações semelhantes já foram utilizadas como por exemplo a criação de cervejas artesanais próprias pelo Walmart nos Estados Unidos que foram batizadas de Trouble Brewing.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Analista de comercialização e logística, sommelier e especialista em marketing de cerveja.