Cervejaria mineira Sátira investe R$ 5 milhões para se expandir pelo país

Publicidade
Cervejaria Sátira, de Minas Gerais, anunciou investimento de R$ 5 milhões em bares próprios e chegada em outros estados

A cervejaria mineira Sátira, que possui fábrica em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, anunciou um aporte de R$ 5 milhões em seu negócio com objetivo de expansão de sua operação.

Apesar dos impactos e incertezas geradas pela pandemia, o anúncio revela a expectativa positiva no inicio de 2021 da cervejaria em relação ao médio prazo em seu crescimento no mercado.

Continua após a Publicidade

O anúncio está presente na publicação do Diário do Comércio, onde a cervejaria revelou os principais objetivos de sua ação de investimento com grande foco na expansão de sua rede de bares, mas também na chegada de produtos da Sátira em diferentes estados do Brasil.

Três novas casas da Sátira serão abertas na capital mineira, que se somam a um bar e uma growler station que já operam em Belo Horizonte e também uma unidade em Nova Lima que comercializam produtos da Sátira.


Leia mais:

O que esperar do mercado de cerveja em 2021


Cervejaria Dogma ganha nova fábrica de R$ 2 milhões em São Paulo (com infográfico)


O investimento também dará início a um processo de expansão da chegada das cervejas da Sátira até outras capitais de estados brasileiros capitais, como Brasília, Goiás, Salvador, Recife, Fortaleza e também o sul do país, num processo que será implementado ao longo dos próximos cinco anos.

Com a abertura de novas casas e expansão a expectativa da cervejaria é que sua produção passe de 10 mil litros para 10 a 40 mil litros por mês. É esperado que o faturamento da Sátira em 2021 alcance um patamar entre 25 e 30 milhões de reais.

Segundo comentários de Eduardo Gomes, fundador e diretor de marketing da Sátira, ao Diário do Comércio, a expansão através de bares em Belo Horizonte estava prevista para o ano de 2020 porém foi adiada devido aos impactos ocasionados pela pandemia do novo coronavírus.

Ainda de acordo com Gomes o pilar central do crescimento da Sátira está pautado no crescimento de vendas próprios e ele acredita que em 2021 as medidas de restrições devido a pandemia deverão ser menos intensas.

Um dos destaques entre as três novas casas que serão abertas em Belo Horizonte é um espaço colaborativo com um bar mineiro que realizará a operação da casa. Este formato de modelo tem se tornado cada vez mais comum para cervejarias e certamente será uma tendência dentro do cenário de recuperação dos impactos da pandemia.

O diretor de marketing da cervejaria também comentou sobre a importância que a diversificação dos canais de venda apresentou durante a reconfiguração do mercado de cerveja em 2020.

Graças a presença dos produtos da cervejaria em canais de off-trade como supermercados, mercearias e padarias, parte da queda nas vendas no ano passado foram amenizadas. Esses canais chegaram a ter crescimento de 35%, mas não foram capazes de compensar integralmente as perdas registradas em bares e restaurantes.

A Sátira iniciou suas operações em 2015 como uma produtora para os chopes em Minas Gerais para a cervejaria Colorado (localizada em Ribeirão Preto), posteriormente a empresa adicionou também a distribuição de marcas como Brassaria Ampolis e Bodebrown enquanto desenvolviam sua marca própria.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Sommelier e especialista em marketing de cervejas