Tendências de branding para a cerveja artesanal (parte 2)

Continuando nossa série sobre as tendências de branding em adoção por cervejarias analisamos mais alguns elementos de construção de comunicação das marcas.

Publicamos uma postagem inicial sobre tendências de branding para a cerveja artesanal abordando alguns elementos que têm sido utilizados no desafio das cervejarias de construírem marcas que tenham uma coesão e promovam engajamento com o público alvo. Você pode lê-la aqui. A parte 3 você encontra aqui.

Ao continuar essa série serão abordados alguns estilos de ilustração com ótimos potenciais de agregação de valor e algumas características de embalagens.

Gravuras têm impacto em rótulos

A gravura é uma linguagem visual ímpar que tem um resultado surpreendente.

O impacto desse tipo de ilustração sempre traz uma atmosfera rústica que ajuda a traduzir as características artesanais da bebida.

Leia mais: Tendências de branding para a cerveja artesanal (parte 1)

Esse estilo de ilustração se encaixa muito bem para agregar valor a rótulos de linhas mais diferenciados de uma cervejaria e a utilização de papéis diferenciados agregam valor ainda maior ao rótulo.

A cervejaria Treze de São Paulo, a cearense Luzterr e coletivo Minore do Rio Grande do Sul utilizaram a técnica através do trabalhos de artistas convidados.

1- Cervejaria Treze collab Dum Cervejaria por Vanessa Carpenezi, 2 – Cervejaria Luzterr por Gustavo Diogeness, 3 – Coletivo Minore por Ana Paula Zonta
Beba local com a cultura local

O mais que conhecido termo beba local, utilizado por microcervejarias para enfatizar a valorização de produtos da própria região e a possibilidade de consumi-los de forma fresca, ganha ainda mais ressonância quando a comunicação do rótulo apela para a cultura local.

Alguns estudiosos têm inclusive se dedicado a analisar esse fenômeno chamado localismo que encontra na ascensão mundial da cerveja artesanal um dos seu maiores expoentes (pense em Brooklyn e Sierra Nevada como alguns dos exemplos mais famosos).

A cultura de localidades brasileiras ainda tem muito o que ser explorada, nesse sentido algumas cervejarias como a pernambucana Ekaut, a sergipana Uçá e a carioca De Janeiro já começara a investir nisso.

1- Cervejaria Ekaut por Maria Joana Pena, 2 – Cervejaria Uçá, 3 – Cervejaria De Janeiro, Coletivo Reverte
Artesanais ganham embalagens casuais

Um dos grandes trunfos da cerveja sobre outras bebidas é seu amplo espectro de ocasiões potenciais de consumo.

Estilo, educação do consumidor e planejamento de marketing definem se um produto será conduzido para ocasiões mais solenes ou para outras mais casuais.

Focando na última opção, a gradativa evolução do mercado já tem permitido que alguns estilos sejam consumidos sem cerimônia ou necessidade de copo ou taça, em ocasiões mais apropriadas para isso.

Leia mais: Empreendedoras do Rio iniciam a trajetória comercial do lúpulo brasileiro

Essa é uma grande tendência que só tem a ganhar mais espaço e players com maiores escalas devem utilizar essas embalagens de forma estratégica em seus portfólios.

Dessa maneira se a sua escala permite custos acessíveis e se seu produto tem potencial vale a pena investir em embalagens com volumes para situações mais casuais como latas menores que 473 ml e garrafas long neck.

1 – Cervejaria Backer, 2 – Cervejaria Narcose, 3 – Cerveja Praya, 4 – Cervejaria Farra, 5 – Cervejaria Blondine

Leia também: Consumo de latas para bebidas cresceu no Brasil em 2018

Rótulos adesivos sensíveis à pressão para latas

Certamente esta tendência é a de mais larga adoção de todas aqui apresentadas.

Os rótulos adesivos sensíveis a pressão têm se difundido rapidamente pelo mercado americano e britânico e o mesmo tem se observado no mercado brasileiro.

Esses rótulos comunicam bem uma atitude “Faça você mesmo” das cervejarias para consumidores e ao mesmo tempo são uma alternativa à utilização de sleeves ou ainda à impressão em latas (cujo o custo é inviável para pequenas escalas).

Essa alternativa confere flexibilidade pois a decisão de qual rótulo aplicar pode ser definida a posteriori, estando as latas disponíveis para qualquer rótulo.

Flexibilidade e menores custos têm sido atrativos para cervejarias e este tipo de embalagem começa a ter uma ótima adesão do público habituado a consumir cervejas mais elaboradas.

Cervejaria Koala San Brew, 2 – Cervejaria Perro Libre, 3 – Cervejaria Synergy, 4 – Cervejaria Quatro Graus collab Salvador Brewing Co

Na próxima publicação dessa série serão abordadas algumas técnicas utilizadas no Instagram para a finalização das tendências de branding para a cerveja artesanal.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Analista de comercialização e logística, sommelier e especialista em marketing de cerveja.