Brewpub mostra importância de flexibilidade na operação para chegar ao público

A cervejaria Garimpero é um exemplo da transição de modelo de operação que brewpubs estão passando para encontrar o público de uma maneira diferente.

Conforme a necessidade de distanciamento social promovido pela pandemia do novo coronavírus se estende, cervejarias que contavam com a principal fonte de receita na venda direta dentro de brewpubs e taprooms precisam se adaptar para encontrar o consumidor de novas formas.

Esse desafio se torna ainda maior pois a atuação destes negócios muitas vezes não projetava um engajamento a distância com o público consumidor, uma competência que ficava restrita a cervejarias com foco em distribuição para pontos de venda.

Publicidade

Desta maneira, brewpubs que já promoviam esse tipo de conexão com o público, onde um dos elementos requisitados é a existência de produto embalado, enxergaram um obstáculo a menos na transição para o enfrentamento da crise atual.

Um exemplo deste movimento foi o promovido pela Cervejaria Garimpero localizada na cidade de Campinas no estado de São Paulo.


Leia mais:

Petroleum é Nosso – Filme relata a evolução do mercado de cerveja artesanal no Brasil


Como a cervejaria americana Trillium adapta seu taproom para operação online


A Garimpero abriu as portas de seu brewpub em março de 2018 com foco no atendimento direto ao público no bar do estabelecimento que ganhou também a venda de latas das cervejas da marca, estabelecendo gradativamente uma extensão da marca da cervejaria fora do ponto de produção. Nesta operação 90% do faturamento ocorria no próprio taproom o que sempre oferece margens atraentes para a empresa.

Com a crise do Covid-19 a cervejaria foi impactada por um cenário totalmente diferente do planejado com 40% de queda no volume comercializado, porém um ponto tem ajudado na manutenção do negócio: a pré-existência das latas no modelo da Garimpero.

Mesmo com o modelo de brewpub a Garimpero já investia em latas.

Houve um aumento das compras desta embalagem pelo público o que ocasionou um aumento da aquisição das mesmas pela cervejaria que já possuía equipamento para envase de latas no brewpub.

A Garimpero tem utilizado diferentes formas de venda no momento atual que incluem delivery e drive thru, utilizando um sistema de cardápio online para facilitar os pedidos de clientes.

“O conhecimento do público em relação as nossas latas nos ajudou nas vendas delas nessa fase atual” comentou Ícaro Sampaio, um dos sócios da Garimpero

A transformação acabou por redirecionar a utilização do espaço do brewpub numa outra dinâmica onde a área de serviço de clientes passou a ser utilizada para o estoque de latas para envasamento, como destacou uma publicação da cervejaria no Instagram.

Nova realidade transformou área de serviço do brewpub em estoque de latas

“A estrutura que possuíamos anteriormente está nos ajudando a enfrentar o momento atual, onde a demanda por produto está fora do brewpub” declarou Ícaro sobre a transição para a fase atual da Garimpero.

A mudança da dinâmica para um modelo mais complexo de operação tem mostrado que será a realidade para brewpubs e taprooms nos meses a seguir não só no Brasil como no resto do mundo.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Sommelier e especialista em marketing de cervejas