Live com presidente da Heineken Brasil revela evolução da empresa nos últimos 10 anos

Publicidade
Presidente da Heineken Brasil revela ações para evolução da empresa em entrevista em live para revista EXAME

A revista EXAME promoveu uma entrevista com o presidente da Heineken Brasil, Mauricio Giamellaro, onde o executivo compartilhou visões sobre o mercado brasileiro de cerveja, a evolução da companhia nos seus 10 anos de atuação no país e as medidas para contornar os impactos da pandemia do novo coronavírus, entre outros temas.

Giamellaro é o primeiro presidente brasileiro da subsidiária da multinacional cervejeira holandesa, tendo assumido cargo em fevereiro de 2019 e passando a comandar a missão de expansão das marcas da companhia pelo país.

Publicidade

Um trabalho de 10 anos levou o Brasil de 17º país em volume de operações em 2010, ano que a empresa chegou ao solo brasileiro, para a primeira posição global da multinacional, tornando o país fundamental para as receitas do grupo cervejeiro com sede na Holanda.

Nesta evolução, Giamellaro destacou a liderança da Heineken no segmento de cervejas premium no Brasil, fato que ele relacionou com o pioneirismo da marca em trazer para o país a discussão sobre ingredientes da cerveja e o investimento da companhia em eventos que carregam os valores da marca como o Rock in Rio e a UEFA Champions League.


Leia mais:

O novo mercado da cerveja sem álcool começou a chegar ao Brasil em 2019


Canais de distribuição do mercado de cerveja estão sendo reconfigurados


O presidente da Heineken comentou sobre o portfólio da companhia que investe em outras bebidas além da cerveja. Dentro de suas cervejas a extensão do porfólio da Heineken cobre todos os segmentos de preço com uma diversidade de marcas que carregam posicionamentos específicos para seus respectivos públicos alvo.

Em relação a seus produtos um destaque foi feito para a o campo de inovação onde a empresa trouxe para o Brasil recentemente a Heineken 0.0 (já lançada no mercado internacional há algunas anos atrás) buscando incluir no segmento premium brasileiro uma cerveja sem álcool e comentou que a meta inicial de vendas do produto foi batida em 15 dias.

Na entrevista, Giamellario pontuou sobre questões relativas a equidade e diversidade no tocante a companhia. A Heineken entende a importância do tema para construção do ambiente de trabalho da empresa e de como ele é fundamental para atingir um público diverso constituído pelos consumidores brasileiros de cerveja. A relevância dada a este tópico gerou a criação de um Comitê de Inclusão e Diversidade da Heineken Brasil para tratar da questão e promover ações da companhia relacionadas a ela.

Um momento importante da live abordou as soluções que a Heineken buscou para lidar com os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus. A empresa assegurou os empregos de todo as suas equipes ao redor do mundo no em relação aos impactos econômicos da crise, auxiliou bares através de programas de antecipação de receitas e realizou doações para diversos setores da sociedade.

Giamellaro também respondeu sobre as razões ligadas ao aumento dos preços das marcas da Heineken no Brasil que foi anunciado recentemente ligados a elevação do dólar ao longo de 2020. A moeda estrangeira está ligado ao custo de aquisições de uma série de insumos, mesmo aqueles produzidos no Brasil mas que possuem cotações ligadas ao mercado internacional de commodities como aço e produtos agrícolas. O presidente da empresa explicou como estes reajustes são anualmente necessários para equalizar os custos de produção da cervejaria.

Para assistir a entrevista completa promovida pelo canal do Youtube da revista Exame basta clicar aqui ou visualizar o vídeo abaixo.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Sommelier e especialista em marketing de cervejas