Maniacs cresce 20% no Off Trade durante a crise com estratégia específica para o canal

Publicidade
Maniacs cresce em supermercados com estratégia voltada para latas e reforçando a Maniacs IPA como carro-chefe do seu portfólio.

A cervejaria paranaense Maniacs Brewing Co tem registrado crescimentos anuais de volume e faturamento seguidos nos últimos anos. Em 2018 este número chegou a 35% e em 2019 bateu em 45%.

Este avanço no mercado é creditado em grande parte a maior penetração da Maniacs IPA que apresentou um salto de 130% de aumento em vendas em 2019 ao lado do crescimento da Brooklyn Brasil, empresa da qual a Maniacs é sócia e responsável pela produção no país.

Publicidade

O crescimento da Maniacs está fortemente relacionado ao papel estratégico que a Maniacs IPA em lata tem desempenhando, que é o de alavancar vendas no Off Trade – canais de venda formados por mercearias, mercados e supermercados – que conta com desafios bastante específicos e que já representa uma parcela importante das vendas da cervejaria

“Nosso volume no Off Trade já é bem expressivo, com 55% de participação em faturamento, principalmente pela boa aceitação de nossas cervejas em latas”, declarou Iron Mendes, CEO da Maniacs Brewing e da Brooklyn Brewery Brasil, para o portal Amanhã.


Leia mais:

Petroleum é Nosso – Filme relata a evolução do mercado de cerveja artesanal no Brasil


Como a cervejaria americana Trillium adapta seu taproom para operação online


Para Iron a tendência de busca pelo consumidor por opções de cervejas artesanais nestes canais de venda tende a crescer, sendo que o posicionamento da Maniacs permitiu seu crescimento mesmo durante a crise atual.

“Desde que a pandemia começou, já tivemos uma alta de 20% nas vendas em gôndolas dos principais players de varejo do Brasil. A tendência, no entanto, é que os supermercados adequem seus processos logísticos devido à mudança no perfil de compras, para então retomar o crescimento. O setor precisa estar preparado para esse movimento”

A Maniacs investe estratégias de marketing que combinam ampliação do diálogo com o consumidor por meio dos canais digitais da marca e intensificação das ferramentas de merchandising e promotoria diretamente nos estabelecimentos onde está presente para viabilizar seu crescimento.

“É o momento de acelerar a capilaridade dos pontos de venda, investir em presença de gôndola e nas informações disponíveis ao consumidor. Hoje somos mais fortes no Sul e no Sudeste e estamos expandindo para as demais regiões do país”, declara Iron.

Receba semanalmente o melhor conteúdo sobre o mercado de cerveja

Sobre o autor

Felipe Freitas é engenheiro químico, mestre em Gestão da Inovação pela EQ/UFRJ
Sommelier e especialista em marketing de cervejas